quarta-feira, 20 de abril de 2011

Aleluia! Aleluia! Aleluia!

Nessa árvore feita cruz,
Com espinhos coroado,
Está o bom Rei Jesus,
Por ódio crucificado.

A seus pés a Virgem Santa,
Chora lágrimas de Mãe,
Seu belo rosto suplanta,
A dor que o coração tem.

Meu querido doce Jesus,
Amparo da minha dor,
Libertas-me do meu pecado.

Por ódio pregado na cruz,
Da humanidade Salvador,
Por amor Ressuscitado!

2011 Olinda Ribeiro

14 comentários:

Mundo das Poesias disse...

Olá,

Gostei do seu Blog e gostaria de fazer parceria com meu blog Mundo das Poesias:

http://www.tol3.net/m

Já adicionei seu Link e gostaria de pedir que também adicionasse nosso banner ou nosso link em seu blog.

Grande Abraço;
Sucesso!

Alexandra Monteiro De Barros disse...

Boa noite Olinda

Agradeço este soneto toca profundamente no meu coração.
É importante que tenhamos a coragem de assumir a nossa Fé.


Alexandra Barros

B. Magalhães disse...

Boa noite Olinda e Boa Páscoa

Obrigado por esta mensagem.
É muito preciosa.


B. Magalhães



Nota: Gostava de saber ao certo quando este soneto foi publicado, pois tenho estado aqui diariamente e só hoje é que me apareceu. Obrigado

José Manuel Antunes disse...

Olá estimada Olinda, por acaso até estava a estranhar e a sentir a falta de um soneto há altura desta solenidade tão importante para os cristãos, está muito bom.


J. M. Antunes

Vasco de Sousa disse...

Já adicionei o seu link de "Mundo das poesias". Abraço.
Vasco de Sousa

Antónia Matos Neves disse...

Bem cá nos encontramos de novo, e que rica estrelinha a Olindinha arranjou para nos guiar, sabe o que mais gosto em si? É de si! É da sua maneira de escrever sobre todos os assuntos sem preconceitos nem receios, e sempre com
o pragmatismo que lhe é tão peculiar.
Sinto e sei exactamente porque o sinto, que quando escreve todo o seu ser está em harmonia, em qualquer situação ou qualquer que seja o sentimento a Olindinha está lá toda inteira.
Não se esconde nas palavras, pelo contrário abre o seu mundo de par em par e deixa que a sua alma e o seu coração sejam o complemento directo da sua mente. Adoro a sua oralidade, e a sua vocabilidade, é uma sinfonia que reúne todos os sons e tons, e os instrumentos se afinam ao ritmo das sua emoções, preenchendo assim a poesia com a musicalidade que só a Olindinha lhe sabe incutir.
Abraço-a com ternura e aqui lhe reitero a minha admiração.

Antónia Matos Neves

João disse...

Aleluia..........
para a minha amiga também.
Que bom está de volta.
Um beijinho
andei por aqui meio tristonho....

João

Acácio Almada disse...

Boa Noite

não sou lá muito dado a essas coisas de religião, nem de politica, porém não seria honesto comigo, se ficasse sem lhe dizer o que penso.
Aprecio a sua poesia num contexto global, escreve com matriz, e nota-se
que tem sentimentos genuínos.
Preferencialmente aprecio o seu arrebatamento na forma intrínseca
como descreve as sua emoções.
Tem por tanto o meu apreço e a minha admiração.
Espero que continue a escrever na textura variada a que já nos habituou
e que a torna muito cativante.


Acácio Almada

Maria Luísa Salgueiro disse...

Olá minha amiga Olinda,
Que bom abrir este espaço, e encontrar a sua poesia sempre actual, e sempre repleta de si.
Este soneto mostra como a Olinda sente esta época tão especial para todos os que acreditam em Cristo.
um grande beijinho


M. L. Salgueiro

Alberta Góis disse...

Olá menina, espero que tenha descansado bastante, agradeço, por me recordar o que aprendi quando era criança e frequentava a catequese, depois fui crescendo, e tomei outros rumos, até porque achava a religião uma coisa obsoleta e fora de moda. A vida encarregou-se de me provar que
estava errada, e de há uns tempos para cá que sinto o chamamento, agora este maravilhoso soneto parece mais um sinal para me mostrar o caminho. Muito obrigada e muitos beijinhos.

Alberta Góis

Jorge Cardoso Vasconcellos disse...

Gosto de ler tudo o que escreve e esta poesia é até muito condizente com o momento

Zézinho disse...

Muito bonito
eu tenho muita fé e fico alegre por ver que também escreve destas coisas religiosas


Zézinho

Maria Costa disse...

Pois então assim é que eu gosto, a Olinda escreve sobre os mais variados assuntos e sempre com o envolvimento personalizado a que já nos habituou.

Maria Costa

Anónimo disse...

Menina voçê é fogo bota poesia em tudo quanto é assunto, esta é das forte, vou pedir pra meus guias cuidar bem de mim pra eu poder apreciar seus poemas.
Se cuida meu bem, que eu sou da sua torcida
Neliza Latoso